As TICs representam um potencial verdadeiramente revolucionário para reforçar a capacidade de ação de indivíduos ou comunidades pobres. Para tornar realidade este potencial, são requeridos importantes investimentos que aumentem o acesso das áreas de baixa produtividade e o desenvolvimento de aplicações inovadoras que contemplem as necessidades de pessoas e comunidades pobres e de pequenas empresas. Os custos em investimentos desta natureza vêm baixando rapidamente, mas como permanecem com retornos baixos conseqüentemente não se deve esperar que o setor privado realize estes investimentos.

Para isto é requerida uma ação efetiva do Estado no estabelecimento de um marco legal e regularizador que facilite o surgimento de um setor privado inovador e competitivo, e também a instituição de subsídios seletivos, eficientes e transparentes de alto rendimento social. Esta ação é necessária precisamente nos países em desenvolvimento onde não é raro encontrar instituições públicas ineficazes, irresponsáveis e fáceis de serem corrompidas.

Este site documenta os esforços para usar as TICs no combate à pobreza e fortalecer a capacidade de ação de grupos ou pessoas pobres. Concentra-se prioritariamente em intervenções do Estado, onde está centrado o principal desafio, mas também reconhece o importante papel que podem e devem desempenhar a empresa privada e a sociedade civil.

Alguns trabalhos que mostramos foram realizados para a Organização das Nações Unidas para a Agricultura e Alimentação / FAO. No entanto, as opiniões expostas são pessoais dos autores e não refletem necessariamente a posição oficial da FAO ou de outros organismos ou entidades.

Se suas pesquisas ou trabalhos contemplam o uso de TICs no processo de redução da pobreza ou reforço de grupos de baixa-renda gostaría de conhecê-los. Por favor, escreva-me FJProenza@e-ParaTodos.org .